quinta-feira, 12 de junho de 2008

Grau de maturidade da placenta


Grau 0 é a placenta homogênea, placa corial lisa e ausência de sinais de calcificação.

Grau I é a placenta com placa corial ondulada, apresentando calcificações esparsas intra placentárias, principalmente na camada basal.

Grau II é a placenta que apresenta a placa basal calcificada e porções septais parcialmente calcificadas.

Grau III é quando a calcificação ocorre em todo o compartimento lobar, determinando uma imagem em anel.

A placenta grau zero é a placenta de primeiro trimestre, a grau I pode ser observada desde o 2o trimestre, a placenta grau II não costuma ser observada antes da 30a semana e é a mais frequente no momento do parto, seguido do grau III e I.

A placenta grau III, encontrada apenas em 40 - 50% dos fetos a termo, costuma aparecer após a 35a semana.

Embora em seu trabalho original Grannum tenha demonstrado um aumento progressivo na maturação pulmonar (relação lecitina/esfingomielina) de acordo com a elevação no grau placentário e maturidade pulmonar em 100% dos fetos com placenta grau III, diversos outros autores não tem demonstrado a mesma correlação. HARMAN estudando 563 pacientes encontrou maturidade pulmonar (L/S > 2) em 16,7% dos fetos com placenta grau 0, 68,5% com placenta grau I, 90,7% em fetos com placenta grau II e 93,1% com placenta grau III, não observando diferença significativa quanto a maturidade entre as placentas grau II e III.

Provavelmente mais importante que a tentativa de avaliação da maturidade pulmonar, é a associação entre a calcificação placentária precoce e a possibilidade de desenvolvimento de retardo de crescimento intra-uterino (por exemplo : placenta grau II antes da 32a semana e grau III antes da 34 semana).

http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/22599

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu estou com 33 semanas de gestação e vi no exame que minha placenta esta em grau 1.